Notícia

Brasil Econômico

Agência atrai empresas para SP

Publicado em 25 março 2010

Criada há menos de um ano, Investe São Paulo já articulou a vinda de fábrica da Hyundai e Toyota para interior paulista, e prospecta atualmente General Electric e a chinesa Samy

O interior de São Paulo vai ganhar, até 2012, duas novas fábricas,uma da Toyota e outra da Hyundai. A primeira vai funcionar em Sorocaba. A outra, em Piracicaba. Elas terão capacidade para produzir, por ano, 150 mil veículos cada. Juntas, elas vão investir US$ 1,2 bilhão e gerar mais de 4 mil empregos, entre diretos e indiretos. Ambos os investimentos estão na lista dos primeiros resultados concretos da Investe São Paulo, agência criada em junho de 2009 pelo governo do estado como objetivode estimular a expansão de empresas já instaladas por aqui.

"Muitos projetos que foram adiados pela crise de 2009 começaram a sair do papel agora", afirma Mário Mugnaini, presidente da Investe SP. Mas onde a agência entra nessa história?

"Ela tem a função de abastecer a empresa ou o investidor de informações que o ajudem na hora de decidir onde investir e como fazê-lo", explica. São orientações sobre o funcionamento do sistema tributário brasileiro e o caminho para a obtenção de crédito e licenças.

Na lista de prospecções da agência estão empresas como a americana General Electric e a chinesa Samy. A GE tem planos de se associar a um centro de pesquisa do estado, como o Pólo Tecnológico de São José dos Campos. Já a Samy, que atua no setor automotivo, pretende instalar uma unidade no estado e tem consultado a Investe SP para analisar a melhor localização - o anúncio deve acontecer no dia 14 de abril durante uma provável visita do primeiro-ministro chinês, Hu Jintao.

Mas o foco não são só as empresas multinacionais. A brasileira Penido já começou a erguer o que será o Aeroporto Industrial de Caçapava e terá a Embraer entre suas parceiras. "A ideia é ter às margens do aeroporto diversos fabricantes de peças e equipamentos para o setor de aviação, incluindo helicópteros", diz Mugnaini. O aeroporto, que terá 1.600 metros de pista, fica pronto em dois anos. "O objetivo é estimular o crescimento da economia do estado, mas também incentivar o investimento em pesquisa e desenvolvimento." Para isso, o governo tem desenvolvido projetos que unem a academia e o setor produtivo, com a criação de pólos de tecnologia que contam, inclusive, com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). "A Fapesp financia a pesquisa, mesmo que seja dentro da empresa, com a única exigência de que o resultado seja publicado e compartilhado com a comunidade acadêmica", conclui Mugnaini.

Um banco de fomento exclusivo para as empresas paulistas

O governo do estado de São Paulo também criou uma agência de fomento que funciona aos moldes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Nossa Caixa Desenvolvimento nasceu com R$ 1 bilhão, que serão disponibilizados para linhas de crédito voltadas para pequenas empresas, cobrando taxa de juros de 0,96% ao mês. Os recursos são parte do que foi obtido pelo governo estatal com a venda da Nossa Caixa para o Banco do Brasil. Por enquanto, R$ 600 milhões já foram integralizados ao caixa da agência, Os outros R$ 400 milhões serão incorporados até o fim do ano.