Notícia

Aline Garcia Dias

Acontecendo agora: Não caiam na conversa dos veteranos, tirar notas baixas na graduação pode fechar muitas portas na sua vida. via /r/brasil

Publicado em 26 setembro 2018

Não caiam na conversa dos veteranos, tirar notas baixas na graduação pode fechar muitas portas na sua vida.

TL/DR: notas baixas na graduação podem te fazer perder ótimas oportunidades de pós-graduação, bolsas, matérias importantes e até interferir no networking. Obviamente notas não são a coisa mais importante, mas não devem ser deixadas de lado.

Esse tópico é uma mistura de desabafo com conselhos, mas puxando mais para a parte do desabafo. Sei que nem todos vão se identificar com as coisas que eu vou dizer aqui e que para muitos caminhos realmente as notas não importam nada, mas para outros são essenciais e gostaria de conversar um pouco sobre isso.

Há uma mentalidade um tanto prevalente (principalmente em cursos tradicionalmente considerados difíceis) que as notas da faculdade não importam muito, que o que conta é passar e que o diploma é o mesmo.

Eu fui vítima dessa mentalidade logo no primeiro semestre, morei em uma república e me deixei ser convencido de que só precisava fazer o mínimo para passar e focar em outras áreas, acabei me formando sem nenhuma DP e com bastante atividades extracurriculares (incluindo 2 anos de IC) mas com uma média ponderada completamente bosta (6,5 de 10).

Nunca consegui uma bolsa de I.C. por causa da minha média ruim, apesar de conseguir publicar um artigo durante a graduação. Migrando para a pós, fui rejeitado do melhor programa de mestrado da minha área no do país por problemas de desempenho acadêmico (ou seja, nota baixa), consegui entrar no segundo melhor programa mas sem bolsa no começo, tentamos bolsa FAPESP mas novamente o problema do desempenho acadêmico surgiu.

Por não ter bolsa FAPESP, não tive como ir apresentar meu trabalho para dois congressos internacionais onde fui selecionado para apresentação oral, perdendo grandes oportunidades de networking. Também não pude fazer intercâmbio científico no laboratório de um de nossos colaboradores no MIT, por não qualificar para a bolsa de mérito acadêmico. Por sorte consegui uma bolsa não-relacionada para outro programa, mas claramente ir para o MIT por um tempo seria muito melhor.

Finalizando o mestrado, julguei-me apto o suficiente para me candidatar para vagas de doutorado nas melhores universidades do mundo (considerando minhas publicações e experiência), e novamente um dos maiores critérios de seleção em comum para quase todos os programas: notas da graduação.

Vou me candidatar mesmo assim, mas não deixo de ficar com uma pulga atrás da orelha por causa dessas notas da graduação que me assombram há mais de quatro anos. Tudo que eu queria era poder voltar no tempo e me dedicar mais, em vez de só fazer o mínimo, mas já que isso não é possível fica o meu relato aqui para pelo menos tentar convencer alguém a não cometer os mesmos erros.

Valeu pra quem leu tudo.