Notícia

O Estado do Paraná

Achados vestígios de nova cultura

Publicado em 30 outubro 2005

São Paulo - Agência Fapesp
Durante uma recente escavação no sítio arqueológico Ilha de Terra, no limite da Floresta Nacional de Caxiuanã, no Pará, pesquisadores do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) descobriram vestígios de uma cultura semelhante à marajoara. Trata-se do primeiro registro de objetos do tipo fora do arquipélago do Marajó.
A semelhança está nas técnicas de decoração e na forma de algumas vasilhas encontradas no trabalho de salvamento arqueológico realizado desde 2004. Foram encontradas 15 urnas funerárias acompanhadas de restos de pequenos vasos decorados, uma machadinha em rocha do tipo diabásio e um colar confeccionado com cerâmica do tipo caulim.

Além da semelhança, o que chamou a atenção dos cientistas foi a idade dos achados. "Os objetos indicam uma ocupação mais antiga, pois são datados de 500 a 1.000 anos antes das peças de Marajó", disse a coordenadora do trabalho de escavação, Alicia Duran Coirolo, do Museu Goeldi, à Agência FAPESP.
Com a descoberta, os pesquisadores acreditam que o sítio Ilha de Terra teria sido uma ocupação intermediária entre as culturas andina e marajoara. "Isso mostra a comunicação entre os diferentes grupos e a forte migração existente na Amazônia. Ou seja, a cultura marajoara pode ter se proliferado primeiro na região de Caxiuanã, para só depois ingressar na Ilha de Marajó", diz a arqueóloga.

Alicia ressalta a importância dessa constatação para os estudos sobre a ocupação da Amazônia. "Aos poucos estamos desvendando o mapa da pré-história amazônica", conta. O sítio Ilha de Terra, onde atualmente vivem cerca de 40 pessoas, foi descoberto em 1999 durante um trabalho de campo de Dirse Kern, geóloga do Museu Goeldi.