Notícia

Gazeta Mercantil

Academia monitora coração em tempo real

Publicado em 02 março 2000

Por Ana Maria Fiori - de São Paulo
Com inauguração prevista para maio ou junho, o Centro de Monitorização da Atividade Física - Beneficência Portuguesa (CMAF - BP) vai funcionar ao lado do hospital, numa ampla casa de três andares cedida pelo empresário Antonio Ermírio dê Moraes. Num ambiente leve, descontraído e aberto ao público em geral, recursos multimídia e atividades sincronizadas com música vão estimular a continuidade do treinamento. De acordo com o médico Ricardo Geretto Kortas, diretor do projeto Pró-Heart, que administrará o Centro, fornecerá os equipamentos e fará a monitorização intensiva e sofisticada dos parâmetros de saúde, a ênfase é a prevenção de enfermidades. "Teremos uma academia alegre e festiva como qualquer outra. Nossa filosofia será: corpo e alma, exercitar o corpo num ambiente excitante, que também estimula a psique, evitando que o tédio criado pela repetitividade do treinamento atrapalhe o progresso do programa. Vamos usar ao máximo os conceitos de ritmo, música e de monitorização, porque também é muito agradável ter uma visualização do que está acontecendo com você por dentro, saber por exemplo como está sua pressão arterial ou sua freqüência cardíaca", ele explica. Kortas ajudou a criar tecnologia médica americana, é mestre em engenharia pela Universidade de São Paulo, doutor em computação e tecnologia médica pela Stanford University e especialista em medicina esportiva pela Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva. Desde 198S chefia a área de avaliação cardiológica não invasiva do Hospital Beneficência Portuguesa, onde dirige o serviço Holter e monitorização da pressão arterial. Com essa bagagem, ele explica que a monitorização sofisticada dos parâmetros de saúde não será visível, em sua maior parte, devido à| matemática pesada envolvida no processo. Esse setor específico do Projeto Pró-Heart conta com um grupo do qual faz parte o chefe do departamento de estatística da Universidade de São Paulo, professor Antonio Galvez, em parceria com equipe de Boston, criada pelas universidades Harvard, MIT, Boston University e MCGill University. Apesar de todo aparato técnico e da presença do suporte completo para eventuais emergências, os equipamentos médicos, na medida do possível, não serão exibidos de forma ostensiva, como num hospital. A casa, na definição de Kortas, é uma academia que dispõe de todos os recursos da medicina. No subsolo, um amplo salão receberá dez esteiras, vestiários masculino e feminino, minilanchonete num pequeno jardim interno e sala de musculação. No nível térreo ficará a recepção, a sala de espera e uma área vip de treinamento, composta de duas esteiras, uma minisala de musculação privativa e minivestiário privativo. O térreo ainda abrigará o centro de testes, que é uma saía climatizada, com uma esteira e um vestiário próprio. Nela haverá recursos para a avaliação de atletas, como testes ergométrico e ergoespirométrico, e uma atração especial para quem se prepara para a Maratona de Nova York - o ambiente climatizado, que permite a simulação, durante treinos na esteira, das condições ambientais da época da prova. Por fim, o primeiro andar terá uma sala com sete esteiras, um pequeno vestiário e uma pequena sala de musculação, além de um espaço com tatame, para relaxamento, e alongamento. O estacionamento tem espaço para 20 carros no total e o centro já adquiriu uma Eurovan de 11 lugares, com ar-condicionado e chofer, para transportar grupos fechados de freqüentadores. Os preços do Centro estarão na faixa das academias de primeira linha da cidade e ele funcionará o dia todo. A previsão é que abra às 6 da manhã e só feche às 22h30, uma vez que horários pré e pós expediente costumam ser muito requisitados por executivos. Como benefício adicional aos freqüentadores, caso seja detectada alguma alteração nos parâmetros médicos durante os exercícios, exames de controle como holter de arritmia 24 horas, holter de pressão arterial 24 horas e até eletrocardiograma de alta resolução serão realizados gratuitamente, tantas vezes quanto for necessário, enquanto o aluno estiver matriculado. * especial para Gazeta MareanH Serviço Centro de Monitorização da Atividade Física Beneficência Portuguesa, (CMAF - BP) - Rua Maestro Cardim, 547, Paraíso, CEP: 01323-000, São Paulo, SP - Telefone para informações.: 251-3403. SUPERESTEIRA TRAZ TECLADO DE PC NO LUGAR DO PAINEL Cada esteira do Centro de Monitorização da Atividade Física terá um PC acoplado. Todos os computadores estarão ligados em rede e também a uma central com recursos de multimídia e Internet. A informatização permite o recebimento on-line de parâmetros de saúde, como a freqüência cardíaca, que são coletados por um pequeno aparelho (o miniholter), enquanto o aluno se exercita. Os workaholics podem fazer um dowload de arquivos da empresa para a central do Projeto Pro-Heart e trabalhar enquanto caminham. Estão previstas aulas de conversação em língua estrangeira e teleconferências, numa utilização dos recursos da informática para motivar os alunos. Outra vantagem, além da monitorização da saúde, é que a esteira conta com uma espécie de sanduíche de borracha expandida, que amortece totalmente a batida do pé. O sistema de lubrificação com água não força o motor e, como conseqüência, não esquenta a passadeira. O aluno pode se exercitar descalço, se preferir. De acordo com Kortas, é a única esteira que tem tanto inclinação positiva como negativa ampla. Isso significa que ela vai de mais 20 graus a menos 20 graus, o que permite a simulação de qualquer trajeto de corrida de rua. Na inauguração, o centro já vai ter os trajetos simulados da São Silvestre e da Maratona de Nova York, com exceção das curvas. Um atrativo a mais, só para atletas, é o teste de condicionamento, realizado em parceria com a psicóloga Regina Brandão, que busca aumentar o limiar de fadiga, usando a música como catalisador. (A.M.F.) PÚBLICO ALVO DO NOVO CENTRO SÃO EXECUTIVOS O Centro de Monitorização da Atividade Física pretende atrair executivos em busca da prevenção de doenças, mas estará aberto a todos os interessados. Antônio Ermírio de Moraes, presidente da diretoria executiva da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa de Beneficência nos últimos 28 anos, explica que o centro possibilitará, também, o acompanhamento de pacientes que sofreram intervenção cirúrgica ou apenas passaram por procedimentos clínicos na área cardiológica da Beneficência. "Na academia o ambiente é muito mais sadio, ameno e menos pesado, carregado, que num hospital. É uma maneira de descarregar um pouco a tensão", ele comenta. O empresário acredita, por isso, que a nova academia trará grande benefício à população em geral. Aos 71 anos, Antônio Ermírio não segue uma rotina rígida de exercícios. "Quando tenho tempo, ando de três a cinco quilômetros, de acordo com a disposição, das 5h30 às 6h30 da manhã, a pé, em casa. Costumo alternar e às vezes ando à noite, se o tempo estiver favorável, quente, sem chuva", diz o empresário. Em geral, ele caminha três vezes por semana e o dia mais constante para o exercício costuma ser o domingo. (A.M.F.) MINIHOLTERS AVALIAM BATIMENTOS Todas as esteiras do Centro de Monitorização da Atividade Física terão um miniholter à disposição dos alunos. O miniholter é uma espécie de miniatura dos holters 24 horas, os aparelhos utilizados em hospitais para a gravação de eletrocardiogramas durante um dia inteiro. Ao efetuar um treino básico utilizando o miniholter conectado ao PC, o aluno terá sua freqüência cardíaca monitorada. O sensor de passada do aparelho medirá o impacto do pé no chão e estabelecerá a correlação entre os batimentos cardíacos e os passos. O software do sincronismo com música será um parâmetro utilizado para mudar a melodia, baseado na freqüência cardíaca. Embora o software detecte arritmias automaticamente, a supervisão médica on-line será constante e o Centro terá sempre um médico no local. Os eletrocardiogramas de todos os treinos serão gravados e, através do site do Projeto Pro-Heart, cada pessoa vai ter a compactação desses treinos e a análise comparativa de sua evolução. Embora a monitorização intensiva da pressão arterial nas aulas de musculação não vá estar on-line na inauguração do centro, os dados vão ser passados para as fichas virtuais dos alunos e estarão disponíveis no site. O miniholter foi desenvolvido por uma das empresas participantes do Projeto Pro-Heart, a KIIM - Kortas Informática e Instrumentação Médica Ind. Com. IMp. Exp. Ltda, com o apoio da FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, dentro do Programa Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (PIPE). Kortas já trabalha na construção do miniholter que mede estresse e nível metabólico, entre outros parâmetros de saúde. Ele explica que é muito importante não só acompanhar o funcionamento do coração de um paciente por 24 horas, como nos exames tradicionais, mas analisar a variação entre os dias. (A.M.F.)