Notícia

Todo Dia (Americana, SP)

A partir dos 50, 58% sofrem com duas ou mais doenças

Publicado em 08 setembro 2013

Por Rodrigo Pereira

Um estudo populacional fi­nanciado pela Fapesp (Fun­dação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) intitulado "Condições de saúde em mulheres com 50 anos ou mais, em Campinas" apontou que 58% da popula­ção feminina nessa faixa etária tem multimorbida­de (duas ou mais doenças).

A pesquisa, desenvolvida junto ao Caism/Unicamp (Hospital da Mulher Dr. José Aristodemo Pinotti) por uma equipe do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, serve de base para o doutorado da gi­necologista Vanessa de San­tos Machado.

O estudo é baseado em uma amostra estatística de 622 mulheres de 50 anos ou mais, entrevistadas em suas casas, que compõem um grupo representativo do uni­verso constituído por 130 mil mulheres que compõem a população feminina acima de 50 anos da cidade de Campinas.

O questionário utilizado na pesquisa e organizado por Vanessa consta de 87 per­guntas, divididas em cinco grupos, que avaliam a condi­ção socioeconômica, hábitos de saúde, percepção da  mu­lher em relação à própria sa­úde, capacidade funcional e doenças crônicas propria­mente ditas, entre as quais hipertensão, infarto do miocárdio, derrame, diabetes, artrose, osteoporose, catara­ta, glaucoma, incontinência urinária, câncer, problemas pulmonares, particularmente enfisema, que são as mais prevalentes nessa população.

RESULTADOS

Cerca de 63% das entrevis­tadas apresentavam sobre­peso ou obesidade e 13% re­lataram sobrepeso ou obesidade entre os 20 e 30 anos, o que faz Ana Lúcia afirmar que estes são os fatores mais significativos em relação à presença de multirmorbida­des.

Vanessa acrescenta que, quando se considera o Índice de Massa Corpórea (IMC), observa-se que cada unidade, além do recomendado na mulher de mais de 50 anos aumenta o risco de duas ou mais doenças crônicas em 3%, o que a leva a concluir que "o envelhecimento é ine­vitável, mas envelhecer com o peso adequado diminui a chance de doenças".

Os dados mostram que apenas 15% das entrevista­das não referiram doenças, 26% mencionaram uma e 58% duas ou mais (multi­morbidades).

Notou-se, ainda, que cada ano a mais na idade aumen­tou a chance da presença de duas ou mais doenças em 3%, o mesmo índice obser­vado para o aumento de cada unidade do IMC.

CAMPINAS