Notícia

Astronomia Real

A maior descoberta de um brasileiro na astronomia.

Publicado em 14 junho 2020

O professor astrofísico Augusto Damineli Neto, nasceu na cidade Ibiporã no interior do Paraná no dia 17 de outubro de 1947. Ele desvendou o maior mistério da estrela Eta Carinae, a segunda estrela mais estudada depois do Sol, e a estrela mais brilhante em nossa Via láctea.

Eta Carinae foi observada pela primeira vez em 1677, pelo astrônomo e matemático britânico Edmond Halley. Quando Halley a observou, ela não era tão brilhante como viria a ser anos posteriores. Precisamente no ano de 1843, quando seu brilho chegou a ser tão intenso quanto o brilho da estrela Sirius (estrela mais brilhante no céu noturno). Seu brilho foi tão forte que ficou visível durante o dia. O motivo de todo esse brilho se deu por causa de uma grande explosão, onde sua poeira cósmica atingiu a marca de 500 vezes o tamanho do nosso Sistema Solar.

Hoje em dia ainda é possível observar os restos desta explosão, na forma de uma nebulosa chamada Homúnculo (névoa envolta da estrela). Como se pode observar no gif abaixo. A foto feita pelo telescópio Hubble nos anos de 1995, 2001 e 2008. No centro estaria a estrela Eta Carinae.

Créditos da imagem: Hubble, NASA, ESA; Processamento e copyright: First Light, J. L. Dauvergne, P. Henarejos.

Segundo cientistas, este material (poeira cósmica) poderia ser o mesmo ejetado pela estrela Eta Carinae no ano de 1843. E também em uma outra explosão há 1000 anos.

Provavelmente ocorrerá uma terceira e última explosão. Não se sabe ao certo se ocorrerá daqui a décadas, séculos ou milhões de anos. Mas quando este fenômeno ocorrer, naturalmente será o seu fim. Após sua morte, a Eta Carinae dará início a um novo ciclo, se tornando uma supernova ou uma hipernova. Alguns astrônomos acreditam que nesta próxima explosão, ela se tornará tão brilhante, que poderá ser vista durante o dia por um observador posicionado na Terra.

O brilho da Eta Carinae é 5 milhões de vezes mais intenso que o Sol. Mas um fato que intrigam os cientistas é que a cada ano a intensidade de seu brilho é reduzido. Esta estrela é tão especial que a cada dois anos alguns pesquisadores se reúnem em um congresso promovido apenas para debater assuntos relacionados a ela. Em 2009, o Brasil sediou um dos encontros.

Descobertas do brasileiro Augusto Damineli

O brasileiro astrônomo Augusto Damineli começou a estuda a estrela Eta Carinae no ano de 1989. Em 1992 registrou um “apagão” da estrela. No ano de 1997 o fenômeno ocorreu novamente. Entretanto, Damineli já sabia que este fenômeno aconteceria naquele ano. Como ele deixa claro em uma entrevista a revista eletrônica ComCiência no ano de 2007.

“Fiz uma previsão de que um novo apagão aconteceria em meados de dezembro de 1997. Embora tenha publicado os resultados numa das revistas mais importantes da área, eles foram contestados por pesquisadores importantes que seguiam essa estrela há décadas. Somente dois pesquisadores americanos, Peter Conti e Mike Corcoran, apostaram em mim. Meus inúmeros adversários diziam que eu tinha colocado uma corda no pescoço, pois Eta Carinae, como todas as outras estrelas gigantes, jamais poderia sofrer fenômenos periódicos. O bom de ter tido adversários poderosos foi que eles publicaram artigos em revistas de ampla circulação, mostrando a teoria deles sobre essa estrela e por que eu estaria errado. Isso me deixava meio encurralado porque eu ainda não tinha uma boa teoria para explicar minha descoberta, nem dados muito bons para sustentá-la. O evento de 1997 aconteceu como previsto e teve destaque mundial. Foi uma alegria muito grande, principalmente porque o sucesso me abriu caminho para diversos telescópios, incluindo o Hubble, e colaborações com meus ex-adversários e os alunos deles. Com mais dados, conseguimos mostrar que Eta Carinae é uma estrela dupla: uma com uma massa aproximadamente 100 vezes maior que a do Sol e uma outra estrela menor, com aproximadamente 30 massas solares. A órbita é excêntrica, de modo que a estrela menor e mais quente se aproxima e se afasta a cada cinco anos e meio da maior. Ao se aproximar dela, ela mergulha em seu vento denso, fica obscurecida, produzindo o apagão”. (Damineli, 2007)

Com estes dados, Damineli concluiu que existia um período em que este fenômeno ocorria. “Olhando para observações feitas por outros autores ao longo de 50 anos, descobri que esses apagões eram periódicos”. (Damineli, 2007). Para ele a estrela Eta Carinae poderia sofrer um novo “apagão” 5 anos e meio depois. Seus cálculos desta vez dataram para o ano de 2003. Precisamente “entre o final de junho e o início de julho deste ano”. (Damineli, 2003).

No seu artigo “O eclipse de uma estrela” publicado no jornal da USP em maio de 2003, ele destaca o seguinte: “Na madrugada do dia 15 de março eu fiz essas observações e ficou claro que o evento irá acontecer.” (Damineli, 2003)

Damineli enfatizou tal data, pois muitos cientistas ainda duvidavam de suas previsões. Muitos dos seus “colegas” internacionais não acreditavam que o fenômeno aconteceria na data marcada pelo brasileiro, ainda mais que as análises partiram de telescópios brasileiros. Um país subdesenvolvido, a qual não possuíam equipamentos modernos o suficiente para fazer tal pesquisa. Seus concorrentes chamavam o telescópio a qual Damineli estudava de telescópio da selva . Como ele destaca em uma entrevista a revista Pesquisa Fapesp.

“Em conferências internacionais, quando dizia que meus dados tinham sido obtidos no Observatório do Pico dos Dias, meus colegas não acreditavam. Mostrava fotos do observatório e eles se surpreendiam com a quantidade de bananeiras que havia em cima do morro. Diziam que era um jungle telescope. Não tinham ouvido falar da astronomia do Brasil. Só conheciam nosso futebol. Percebi que tinha de apresentar algo mais consistente para convencê-los. Fiz então uma previsão de que o fenômeno do apagão das emissões iria ocorrer de novo”. (DAMINELI, 2020, p.32)

Naquela época, a comunidade científica internacional, inclusive a Nasa acreditavam que a estrela Eta Carinae era formada por apenas uma estrela. Entretanto, Damineli defendia que a estrela Eta Carinae se tratava de uma estrela binária, ou seja, composta por um sistema duplo, onde duas estrelas interagem entre si pela força da gravidade. Além disso, Damineli também previu um intervalo de tempo entre os “apagões”, aproximadamente 5,5 anos.

A teoria de Damineli se resume da seguinte maneira:

A estrela Eta Carinae não seria uma estrela solitária, mas sim duas estrelas que orbitam entre si. Uma estrela maior e mais fria e outra menor e mais quente. A estrela menor possui um terço de massa em relação a outra. Contudo, a estrela maior possui o seu brilho 10 vezes menor que a estrela menor, ela ainda está envolto de uma espessa camada de nuvem. Quando a estrela maior e mais fria passava na “frente” da estrela menor e mais brilhando, sua luminosidade “apagava”, a nuvem a qual que está envolvendo a estrela maior ajuda no “apagar” da estrela menor. “Esse modelo trouxe alguma regularidade ao comportamento de Eta Carinae, que não é uma estrela tão exótica quanto se imaginava”, concluí Damineli. (DAMINELI, 2009, p.22)

No final de junho, as previsões de Damineli foram confirmadas. “Tudo aconteceu com a precisão de um relógio”, comemora o professor Damineli. “Denominamos ‘apagão’ a interrupção rítmica de alguns canais de emissão de energia luminosa da estrela. Após o fenômeno, todos os canais da Eta Carinae estarão ativos novamente” (Damineli, 2003. p.127)

Hoje Damineli é reconhecido internacionalmente por suas descobertas. Ele leciona no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP).

Damineli, sim é um herói nacional. Fica aqui registrado toda a nossa admiração pelo professor Augusto Damineli Neto.

Abaixo você verá um pequeno vídeo do professor Augusto Damineli explicando um pouco mais sobre a estrela Eta Carinae.

A Luz de uma estrela misteriosa. Pesquisa FAPESP.

Adquire o nosso livro: Desconstruindo um mito

Se inscreva em nosso canal no youtube

Bibliografia

Augusto Damineli, Intérprete estelar. Mulheres Ciência, FAPESP, ed. 289, p.32-37, Março, 2020.

Augusto Damineli, Valsa em descompasso. FAPESP, ed. 159, p.22-23, Maio, 2009.

BANDEIRA. E. Estrela Eta Carinae e seus mistérios. Disponível em: http://astronomiareal.blogspot.com/2016/12/estrela-eta-carinae-e-seus-misterios.html Acesso em: 14 junho 2020.

BARBOSA. C. Eta Carina, a bomba-relógio. 2008. Disponível em http://g1.globo.com/platb/observatoriog1/2008/09/10/eta-carina-a-bomba-relogio/> Acesso em: 29 de nov de 2016.

DAMINELI, Augusto. O astrônomo Augusto Damineli fala de suas descobertas sobre a estrela mais brilhante da galáxia (a Eta Carinae), sobre divulgação científica, do status da pesquisa em astronomia no Brasil e da busca de vida em outros planetas. ComCiência, UNICAMP. São Paulo. 9 de Ago. 2007. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/handler.php?section=8&tipo=entrevista&edicao=27> Acesso em: 13 maio 2020.

DAMINELI, Augusto. O eclipse de uma estrela. Jornal da USP, São Paulo, 12 a 18, maio 2003. nº 641. Disponível em: http://www.usp.br/jorusp/arquivo/2003/jusp641/pag0809.htm> Acesso em: 13 maio 2020.

Com a precisão do relógio. Jornal da USP, São Paulo, 17 de julho 2003. nº648. Disponível em: http://www.usp.br/jorusp/arquivo/2003/jusp648/pag16.htm> Acesso em: 13 maio 2020.

Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas. Maior estrela do Universo sofre “apagão”, confirmando teoria de pesquisador do IAG/USP. 2003. Disponível em: http://www.usp.br/agen/repgs/2003/pags/127.htm Acesso em jul. 2020.http://www.revistapesquisa.fapesp.br/valsa-em-descompasso/

LEAL. T. MORTE ANUNCIADA NA VIA LÁCTEA. 2008. Disponível em:http://www.cienciahoje.org.br/noticia/v/ler/id/1065/n/morte_anunciada_na_via_lactea> Acesso em: 28 de nov de 2016.

Maior estrela do Universo sofre “apagão”, confirmando teoria de pesquisador do IAG/USP. Agência USP de Notícias. São Paulo. 14 de junho 2003. p.127. Disponível em: Acesso em: 14 de junho 2020.

TRAVNIK. N. Eta Carinae, a Morte Anunciada de uma Estrela. 2016. Disponível em http://astronomia.blog.br/eta-carinae-morte-anunciada-de-uma-estrela/> Acesso em: 30 de nov de 2016.