Notícia

Folha de S. Paulo

A língua estrangulada

Publicado em 22 março 2019

Sempre acreditei que um texto, para ser “bem escrito”, deveria ser conciso, claro e verdadeiro. O problema é quando a concisão compromete a clareza. As siglas, por exemplo. Nada mais conciso do que elas. Mas serão claras? Só se você souber previamente o que significam. Um absurdo de siglas circula hoje alegremente pela língua —nem sempre identificadas entre parênteses—, o que nos obriga a piruetas mentais para saber qual é o quê. Como é impossível saber todas, a sigla é a língua estrangulada. Duvida? Tente decifrar [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.