Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

A grande compra de livros pelo IFCH

Publicado em 16 julho 2012

A Biblioteca Octávio Ianni, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, concluiu recentemente a execução de um dos maiores projetos de aquisição de livros na história da unidade. Trata-se do projeto FAP-Livros VI, de US$ 1.559.936,50, que foi também o maior financiamento para este fim aprovado pela Fapesp no Estado de São Paulo. A aquisição de aproximadamente 25 mil títulos, garimpados em 29 países, permitiu a atualização bibliográfica frente ao mercado editorial internacional, além de reforçar a qualidade de um acervo que está entre os mais importantes da América Latina na área de ciências humanas.

"Adquirimos uma lista de fontes primárias que, pelo que sei, não existe em outro lugar do país", afirma o professor Michael McDonald Hall, coordenador deste projeto FAP-Livros. "Procuramos enfatizar as fontes referentes ao Brasil (mas não exclusivamente), segundo áreas que achamos necessário reforçar, especialmente sobre a África e depois a Ásia e países da América Latina como México e Argentina. Houve uma compra grande de títulos de história da arte, estudos medievais, filosofia moderna e antropologia, mas no geral tentamos cobrir todas as áreas em pesquisa e docência do IFCH."

O destaque da aquisição é a coleção "Brazil"s Popular Groups", composta por 332 rolos de microfilmes cobrindo o período de 1966 a 2009. Inédita no Brasil e na América Latina, a coleção foi idealizada pela Library of Congress, em Washington, com o objetivo de documentar os movimentos populares que surgiram durante a ditadura militar brasileira e com o advento da Nova República em 1985. São boletins, jornais, relatórios, folhetos, cartazes, resoluções de congressos, manuais educativos e catálogos de publicações, em que todos os estados do país estão representados.

"O Arquivo Edgard Leuenroth [AEL, também do IFCH] já deve ter parte desse material, mas é muito complicado localizar determinado boletim ou jornal em meio a 300 rolos de microfilmes", observa Michael Hall. "O interessante é que tudo foi filmado e catalogado pela Biblioteca Nacional norte-americana, havendo então um índice para que o pesquisador encontre rapidamente o que precisa."

A "Brazil"s Popular Groups" está organizada em 14 tópicos: crianças e jovens, direitos humanos e direitos civis, educação/comunicação, negros, índios, outros grupos étnicos, homossexuais e bissexuais, meio ambiente e ecologia, mulheres, política e partidos políticos, questões urbanas, reforma agrária e questões rurais, trabalho e questões sindicais, e organizações religiosas e grupos e movimentos ecumênicos.

Outras raridades

Através do projeto FAP-Livros VI foram importadas outras 12 coleções raras e especiais dos Estados Unidos e da Europa, antes disponíveis somente em bibliotecas e arquivos do exterior e que agora podem ser consultados no IFCH. "O importante é que essa aquisição vai abrir a possibilidade de pesquisas em áreas pouco investigadas no Brasil. Fizemos um enorme esforço, por exemplo, em relação à África, que não está muito bem representada nas bibliotecas brasileiras; é um material complicado de comprar e que vai aumentar a nossa capacidade de pesquisa", diz Michael Hall.

Entre as outras raridades estão relatórios diplomáticos, despachos e telegramas do governo britânico abordando as relações com países da América Latina, incluindo o Brasil, no período de 1845 a 1956. Outra do Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha envolve especificamente a política interna brasileira, de 1824 a 1905. Uma coleção de panfletos de Robert J. Alexander, do início dos anos 1940 até os anos 1980, traz 664 itens referentes ao Brasil, tratando de sindicatos, partidos políticos, direitos humanos e outros assuntos.

Em 642 microfichas estão 233 títulos raros dos séculos 16 ao 18, publicados principalmente em Amsterdã por sefarditas (descendentes de judeus originários de Portugal e Espanha) refugiados da Inquisição. Mais 2.606 microfichas, sobre filosofia e artes liberais no início do período moderno, inclui obras de metafísica, matemática, ética, política, lógica e retórica, entre outros assuntos. Da Itália vieram arquivos do Instituto Feltrinelli em 20 rolos de microfilme, além de periódicos importantes do socialismo italiano e internacional.

A garimpagem

Regiane Alcântara Eliel, diretora da Biblioteca do IFCH, informa que a aquisição dos 25 mil títulos pelo FAP-Livros VI representa um aumento de mais de 20% no acervo. "É um enorme reforço. E podemos dizer que 99% das obras são em língua estrangeira, até porque esse projeto é uma oportunidade de atualizar a biblioteca em termos de publicações internacionais - temos como adquirir títulos nacionais através de outras fontes. O francês vem logo depois do inglês, sendo que houve uma compra grande em alemão, no caso de livros de filosofia e história da arte."

Segundo Regiane Eliel, a execução deste projeto exigiu mais de seis meses de trabalho de uma equipe coordenada pela bibliógrafa Clarinda Lucas Rodrigues. "Ela se encarregou da seleção dos títulos, sempre com apoio do docente coordenador da comissão (na época, o professor Michael Hall), de modo a contemplar todas as linhas de pesquisa do IFCH. Aprovada a lista pela Fapesp, separamos os livros por países e realizamos as compras diretamente dos fornecedores, sem intermédio de livreiros, visando melhor uso dos recursos. É um desafio encontrar livros antigos e esgotados. O mercado editorial está cada vez mais ágil, mas ao contrário de áreas como as tecnológicas, que precisam de conhecimento atualizado, para nós interessa o que é do passado."

A grande maioria dos títulos adquiridos através do FAP-Livros VI já está disponibilizada, havendo uma equipe de sete bibliotecários finalizando a catalogação. O enorme volume de títulos em papel obrigou à improvisação de uma área anexa para abrigá-los, mas apenas até a inauguração do novo e moderno prédio da Biblioteca do IFCH, com três amplos pavimentos, previsto para ser entregue em setembro.