Notícia

O Diário (Barretos, SP)

A evolução do uso do computador no ensino de línguas: um breve histórico

Publicado em 26 julho 2008

Segundo Warschauer (1996), podemos categorizar a evolução do uso do computador no ensino de línguas em três fases: a) o CALL estrutural ou behaviorista; b) o CALL comunicativo; c) o CALL integrativo. Vale salientar que o surgimento de uma nova fase não implica na rejeição dos programas e métodos da fase anterior e, como ocorre com todas as inovações tecnológicas, a aceitação ocorre de maneira gradual.


O CALL estrutural ou behaviorista, conforme nos reporta Vieira-Abrahão (2006a:20), “(...) acompanhou a abordagem de ensino predominante nos anos 60 e 70 nos Estados Unidos, que seguia a lingüística estruturalista. O computador era visto como um tutor mecânico que permitia que os alunos trabalhassem em seu próprio ritmo. Os programas utilizados reforçavam o ensino da forma da língua e envolviam exercícios mecânicos de repetição, explicações gramaticais e testes de tradução”(Ênfase adicionada).


O CALL comunicativo surgiu, por sua vez, no momento de mudança paradigmática no ensino de línguas.


Segundo Moreira (2003:6) “(...) muda o conceito predominante de aprendizagem de línguas: aprender passa a não significar mais o domínio de palavras, sons ou estruturas; essencialmente, o aprendizado implica em adquirir competência comunicativa, ou seja, “a habilidade de usar o sistema lingüístico de forma eficiente e apropriada.”.

Vieira-Abrahão (2006a:20) afirma que nesta fase o foco está na interação que os alunos estabelecem entre si ao executarem tarefas propostas pelo computador, e não naquilo que eles executam com as máquinas.


E, no CALL integrativo, segundo Moreira (2003), corroborando com Warschauer (1996), destaca que “(...) vivenciamos agora, caracterizada por abordagens baseadas no uso de computadores multimídia e a internet. Através desta última, é possível se comunicar 24 horas por dia, simultaneamente ou não, de forma rápida, conveniente e barata com nativos da língua que se deseja aprender. Pode-se, inclusive, conversar com várias pessoas ao mesmo tempo, fazer intercâmbio de imagens e sons, localizar materiais autênticos de acordo com os interesses de cada um.

Paralelamente, através de recursos trazidos pela tecnologia multimídia, temos sons, vídeo, animações, textos e gráficos trabalhando conjuntamente para combinar leitura, escrita e habilidades orais em uma mesma atividade, além de proporcionar mais controle por parte do aluno sobre o seu próprio aprendizado.


Levando-se em consideração esta premissa, chegamos à conclusão de que é nesta fase que as comunicações in tandem e o “Projeto Teletandem Brasil: Línguas Estrangeiras para todos” (um projeto educacional, inter-departamental e interinstitucional na área de ensino de línguas estrangeiras a distância de duas unidades da Universidade Estadual Paulista - Assis e São José do Rio Preto - financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP), estão sendo propostos. Pois, conforme assevera Vieira-Abrahão (2006a:21), as interações in tandem utilizarão o MSN Messenger que propicia comunicação síncrona, concatenando por sua vez, as quatro habilidades no ensino de línguas.