Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

A EdUFSCar na 17ª Bienal Internacional do Livro

Publicado em 24 abril 2002

São 107 títulos no catálogo, incluindo livros, CDs, revistas e fascículos. Esse acervo poderia ser considerado pequeno quando medido em números. Mas a Editora da Universidade Federal de São Carlos (EdUFSCar) preza pela diversidade de temas e de informação. Não são apenas conteúdos de divulgação científica, que por si só traz uma importância editorial relevante, mas também a literatura, a poesia, a filosofia e a história que de alguma forma contribui para a cultura brasileira. Para apresentar um pouco mais de seus objetivos e variedade de estilos, a EdUFSCar participará de um dos maiores eventos do mercado editorial: a 17ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, , que acontece entre os dias 25 de abril e 5 de maio, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. Além de expor todos os títulos editados, a EdUFSCar lançara oito livros na Bienal, no dia 4 de maio, às 19h, sendo que os autores de sete deles estarão presentes para a sessão de autógrafos. Serão lançados: Portal dos Sonhos, de João Batista de Andrade; Mecanismos do Silêncio - Expressões Artísticas e Censura no Regime Militar (1964-1984), de Creuza de Oliveira Bergr Como se Soltos na Água do Mar, de André Brandão; Crônicas de Cinema, de Flávio Fortes D'Andrea; Escola e Aprendizagem da Docência - processos de investigação e formação, de Maria da Graça Nicoletti Mizukami, Aline Maria de Medeiros Rodrigues Reali, Cláudia ' Raimundo Reyes, Elisabeth Márcia Martucci, Emilia Freitas de Lima, Regina Maria Simões Puccinelli Tancredi e Roseli Rodrigues de Mello: Peixe de Bicicleta, de Sérgio Telles; Reestruturação Agroindustrial -Políticas Públicas e Segurança Alimentar Regional, de Luiz Fernando Paulillo e Francisco Alves (organizadores); e O Animal Cultural, de Carlos París. Pela primeira vez a Editora contará com espaço próprio dentro do stand coordenado pela ABEU (Associação Brasileira das Editoras Universitárias) e pela Imprensa Oficial. A EDUFSCAR A EdUFSCar teve a primeira obra publicada em 1993. O primeiro catálogo, produzido em 1995, tinha 14 títulos. Atualmente, o acervo possui 107 títulos, sendo 92 livros, três CDs, uma revista (Hipertexto) e 11 fascículos que fazem parte da série Apontamentos, servindo como material de apoio para o ensino dentro da universidade. Para atender aos diversos públicos por meio da editoração de diversos gêneros literários, a EdUFSCar tem realizado co-edições com outras editoras universitárias, entre elas as da UFRGS (Universidade Federa] do Rio Grande do Sul), UFSC (Universidade de Santa Catarina) e Unicamp (Universidade de Campinas), e comerciais como a Francisco Alves, Vozes, Mercado Aberto, José Olympio, Record e Mercado de Letras, além do apoio de outras instituições como a Funart, Fapesp e Arquivo Nacional. Pelo trabalho pioneiro desenvolvido no combate à pirataria, por meio de convênios com a Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR) para disciplinar a cópia de livros, com o fim de garantir o copyright de autores e editoras, a EdUFSCar recebeu reconhecimentos importantes vindos da Câmara Brasileira de Letras (CBL), da ABDR e da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA). Já participou de importantes feiras nacionais e internacionais, dentre as quais estão a Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro e a Feira Internacional de Frankfurt. A EdUFSCar também acumula quatro importantes prêmios: da APCA, nas categorias Editoração e Melhor Livro de Ensaios; o Jabuti da CBL, na categoria Amigo do Livro; o Nacional de Romance, com o livro Arcabuzes, de Noel Nascimento: e o prêmio Quarenta Anos da União Brasileira de Escritores (UBE). também com o romance Arcabuzes. As instalações da editora, localizada na área norte do campus da UFSCar, em São Carlos, próxima à Biblioteca Comunitária, estão sendo ampliadas, o que garantirá melhor comodidade e abrangência de serviços. O atual diretor da EdUFSCar é o professor Oswaldo Truzzi. EdUFSCar lançará oito livros na Bienal EdUFSCar estará lançando oito obras durante a 17ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. O evento, que reunirá autores de sete livros dos oito programados para o lançamento, será realizado no dia 4 de maio, às 19h, no palco do stand da ABEU e Imprensa Oficial. Na oportunidade, os autores estarão distribuindo autógrafos aos presentes. Confira a seguir um resumo de cada livro: Portal dos Sonhos João Batista de Andrade EdUFSCar - 2001 "Um desencontro absoluto entre o imaginário e o real e que tem a ver com o Brasil de hoje e com a intelectualidade brasileira". Essa é a definição do autor sobre o romance Portal dos Sonhos. O livro narra a história de três gerações de uma família de classe média paulistana. Alexandre, único representante da segunda geração, passa anos escravo de um mesmo sonho, até que um dia decide nunca mais sonhar. A partir daí, a realidade se confunde com o vazio do pensamento. Sobre o autor João Batista de Andrade é cineasta e autor. Portal dos Sonhos é o quarto romance de Andrade. Antes vieram Perdidos no Meio da Rua (1989), A Terra do Deus Dará (1991) e Um Olé em Deus (1997). No cinema, Andrade assina 12 longas-metragens, entre eles Doramundo (1978), O Homem que Virou Suco (1981) e O País dos Tenentes (1987). Seu filme mais recente é o Rua Seis Sem Número. Mecanismos do Silêncio - Expressões Artísticas e Censura no Regime Militar (1964-1984) Creuza de Oliveira Berg EdUFSCar - 2002 A obra relata os mecanismos de censura utilizados durante o Regime Militar no Brasil (1964-1984) como forma de silenciar as manifestações artísticas e culturais da época. São descritos os procedimentos adotados pela Divisão de Censura e Diversões Publicas (DCDP), órgão central, e pelo Serviço de Censura e Diversões Públicas (SCDP). organizado em órgão regionais, bem como seus critérios, métodos e fundamentos de ação. A investigação da autora partiu especificamente da imposição da censura, parte do aparato ideológico montado pelo regime autoritário, como forma de legitimar e de se manter no poder. Sobre a autora: Creuza de Oliveira Berg, natural de Ourinhos, interior do Estado de São Paulo, graduou-se em História e recebeu o título de Mestre em Ciências - História Econômica pela Universidade de São Paulo. Há cerca de 10 anos pesquisa a censura no regime militar brasileiro. Atualmente é professora na Universidade de Santo Amaro, onde ministra disciplinas nos cursos de Serviço Social e Turismo. Como se Soltos na Água do Mar André Brandão EdUFSCar / co-edição Global Editora - 2002 A obra é resultado da tese de formatura para o curso de bacharelado em Engenharia Mecânica no Massachusetts Institute of Tecnology, em Cambridge, concluído em 1996. No trabalho, o autor optou por estudar a literatura francesa, com especial destaque para a obra de Marguerite Duras, uma das vozes mais convincentes e ilusórias surgida entre os escritores franceses do século XX. O trabalho explora a produção de Duras como ficção, autobiografia ou ficção autobiográfica, um tema que vem se apresentando desafiador críticos literários. Sobre o autor: O paulistano André Brandão é formado em Engenharia Mecânica no Massachusetts Institute of Tecnology, em Cambridge. Durante o curso estudou em Paris onde pôde se dedicar à literatura francesa e reavivar seu amor pela fotografia. Neste mesmo período, aproximou-se da obra de Marguerite Duras, de seu jeito fluido e feminino de ver e escrever a vida. Crônicas de Cinema Flávio Fortes D'Andrea EdUFSCar - 2002 O autor apresenta uma análise via psicanálise de diversos filmes nacionais e estrangeiros, associando a vida na tela com temas atuais. Em cada capítulo o autor aborda um filme em que inicia expondo argumentos na visão didático-psicanalítica e conclui relacionando arte com o real. O livro é uma reunião de textos publicados pelo autor no jornal A Cidade, entre 1991 e 2001. Entre os filmes que mereceram um capítulo e uma crônica analítica estão "A Voz da Lua", "Psicose", "E O Vento Levou", "O Maior Espetáculo da Terra" e "Floresta das Esmeraldas". Sobre o autor: Flávio Fontes D'Andrea, de Ribeirão Preto, intenor do Estado de São Paulo, é psicanalista e amante do cinema. Escreve para o jornal A Cidade, de Ribeirão Preto sobre a sétima arte na visão psicanalista. Escola e Aprendizagem da Docência - processos de investigação e formação Maria da Graça Nicoletti Mizukami, Aline Maria de Medeiros Rodrigues Reali, Cláudia Raimundo Reyes, Elisabeth Garcia Martucci, Emitia Freitas de Lima, Regina Maria Simões Puccinelli Tancredi e Roseli Rodrigues de Mello EdUFSCar - 2002 O livro apresenta uma análise das questões teórico-pedagógicas de formação inicial e continuada dos professores quanto a investigação de tais processos. Também é descrita uma estratégia que considera a parceria universidade-escola, a escola de ensino fundamental e a pesquisa colaborativa como instâncias formadoras da docência. A obra é resultado de um projeto vinculado ao Programa de Pesquisas Aplicadas sobre a Melhoria do Ensino Público no Estado de São Paulo. Da FAPESP, desenvolvido de 19% a 2000, que envolveu as autoras - docentes da UFSCar - e profissionais de uma escola da rede estadual de ensino fundamental em São Carlos. Sobre as autoras: todas as autoras são docentes do Departamento de Metodologia do ensino do Centro de Educação e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Carlos. Peixe de Bicicleta Sérgio Telles EdUFSCar - 2002 Neste segundo livro de contos, o autor aborda as classes média e profissional urbanas, liberais e bem de vida. A obra traz narrativas menores e contos maiores, sendo que o primeiro, na análise do professor Malcolm Silvermam, escritor do prefácio, - apresenta o tom de crônicas de um ensaísta. O segundo, prossegue o professor, revela "a forma estrutural preferida, seja na fusão de vários sub-enredos, seja inserindo o passado em alusões atuais aos perenes impasses do comportamento social tradicional." Telles se apóia no personagem como metáfora, cujas ações e comportamentos servem apenas como complemento da versão aparentemente irônica que ele, o autor, mostra da sobrevivência do mais forte. Sobre o autor: Nascido em Fortaleza, João Sérgio Siqueira Telles se formou em Medicina em 1970. No mesmo ano foi para São Paulo, onde reside até hoje. exercendo a clinica psicanalítica. Teve o primeiro livro de contos publicado em 1992 com o nome '"Mergulhador de Acapulco" (Editora Imago. 1992, RJ). Também participou de várias antologias, entre elas "O Talento Cearense em Conto" (Maltese, 1994). Fez parte da primeira equipe da revista VEJA, em 1968. Colaborou nos jornais "Folha de São Paulo". 'O Estado de São Paulo" e "Jornal da Tarde", além de publicações na área psiquiatria. Reestruturação Agroindustrial - Políticas Públicas e Segurança Alimentar Regional Luiz Fernando Paulillo e Francisco Alves (organizadores) EdUFSCar - 2002 A complexidade que toma a produção agroindustrial no mundo e seus impactos na segurança alimentar de países não desenvolvidos, como e o caso do Brasil, é o principal problema abordado na presente obra. Porém, a maior novidade desse trabalho é a abordagem em âmbito regional: estão reunidas análises criteriosas sobe a reestruturação agroalimentar na macroregião de Ribeirão Preto, interior do Estado de São Paulo. Além da análise, também são descritas as possibilidades de realização de políticos públicas voltadas pura a segurança alimentar local. Sobre os organizadores: Luiz Fernando Paulillo é doutor em Economia pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor adjunto do Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Integra o Grupo de Estudos e Pesquisas Agroindustriais (GEPAi) da UFSCar e é autor de publicações na linha teórico do neoinstitucionalismo e da organização industrial, tendo por principais objetos de análise a agroindústria e as políticas públicas. Francisco Alves é doutor em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É professor adjunto e chefe do Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Coordena vários projetos de pesquisas na linha Políticas Públicas e Desenvolvimento Local. O Animal Cultural Carlos Paris Marly de Almeida Gomes Vianna (tradução) EdUFSCar 2002 O objeto de reflexão da obra e o ser humano como animal cultural. Na visão do autor, essa idéia implica em reelaborar essa antiga questão sobre a realidade humana, tanto pelo desenvolvimento das ciências biológicas como pelo das que se referem ao mundo da cultura. Mesmo com a contribuição desses dois saberes científicos e o amadurecimento conceituai ligado a elas, a própria expressão "animal cultural" abre uma nova problemática referente a articulação entre biologia e cultura, uma problemática em que a filosofia e a ciência se fundem. A presente obra. com o título original em espanhol de "El Animal Cultural", foi escrito cm 1984 e está sendo editado pela primeira vez no Brasil pela EdUFSCar, com tradução de Marly de Almeida Gomes Vianna, ex-professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Sobre o autor: O espanhol Carlos Paris, nascido em Bilbao, em 1925, atualmente e Catedrático Emérito de Filosofia da Universidade Autônoma de Madri. Sua obra como pensador iniciou-se com Física y Filosofia (1952). Entre os livros que escreveu estão Bajo constelaciones burlonas, La máquina speculatrix, Hombre y naturaleza e Unamuno: estructura de su mundo intelectual. Fabricio Mazocco - Assessoria de Comunicação FAI-UFSCar / EdUFSCar e-mail: faicso@power.ufscar.br