Notícia

Agora Vale

A. C. Camargo cria comitê científico internacional

Publicado em 19 março 2012

Agência FAPESP - O Centro Internacional de Pesquisa do Hospital A. C. Camargo (Cipe) criou um conselho científico internacional para avaliar as pesquisas realizadas pela instituição.

O comitê é composto por cientistas de cinco países. Entre eles estão o virologista alemão Harald zur Hausen, professor emérito da Universidade de Heidelberg, que recebeu o prêmio Nobel de Medicina por ter identificado em 1983 a relação do papilomavírus (HPV) com o câncer.

Outros cientistas que integram o conselho são António Coutinho, que dirigiu o Instituto Pasteur, em Paris, por mais de dez anos e atualmente coordena o Instituto Gulbenkian de Ciência, de Portugal, e Curtis Harris, professor da Georgetown University e diretor do National Cancer Institute dos Estados Unidos.

Completam o conselho Alan Ashworth, professor do Breakthrough Breast Cancer Research Centre do Reino Unido, Kai Simons, do Instituto de Biologia Molecular e Genética do Max-Plank-Institute, em Dresden, na Alemanha, e Martin Raff, da McGill University (Canadá) e da University College London (Reino Unido).

O conselho é resultado de uma das últimas iniciativas do professor Ricardo Brentani, que faleceu em novembro de 2011 e era presidente da Fundação Antônio Prudente, que mantém o Hospital A. C. Camargo, e diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo (CTA) da FAPESP.

De acordo com Fernando Soares, coordenador de pesquisa e diretor de ensino do Hospital A. C. Camargo, o comitê científico internacional já dará seu primeiro parecer nos próximos três meses.

"O comitê apresentará um relatório trazendo possíveis novas diretrizes a serem implantadas em toda a nossa área de pesquisa. Após isso, agendaremos um novo encontro para os 12 meses subsequentes e uma nova avaliação será feita", disse.

A instituição é responsável por mais de 60% da pesquisa do câncer no país, de acordo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e publica, em média, cerca de 200 artigos científicos em revistas de impacto mundial nas áreas de biologia celular e molecular, genética e genômica do câncer por ano.

Mais informações: www.accamargo.org.br