Notícia

Jornal Primeira Página

84% dos professores universitários são doutores

Publicado em 25 março 2011

Por Daniel Monteiro

Cidade com maior índice de doutores por habitante (1 para cada 180 habitantes), São Carlos apresenta, também, um alto índice de professores alta graduação: 84% dos docentes possuem doutorado.

São Carlos possui, hoje, 1.763professores nas três grandes universidades da cidade. Desses, 1.486possuem doutorado e lecionam no meio acadêmico. Isso sem contar o número de pesquisadores que não dão aula e doutorandos. De acordo com as assessorias das universidades, devido ao potencial da cidade e à alta procura das empresas por profissionais capacitados, muitos alunos iniciam o doutorado, mas não o terminam na cidade.

FORÇA FEMININA - Do número total de doutores, 663 são mulheres (37% dos docentes). Dessas, 519, ou 78% são professoras universitárias que possuem doutorado. Em uma das universidades, aliás, há mais doutoras do que doutores. Já dos 1.100 homens que lecionam nas universidades, 967 são doutores, ou 87% do total. O alto número de mulheres que possuem doutorado hoje é reflexo do crescimento da mão de obra feminina em diversas áreas da sociedade. "Há estudos que comprovam que a mulher, na maioria dos casos, possui mais aptidão ao estudo ou à carreira acadêmica do que o homem. Hoje, o que ocorre, é há uma maior visibilidade e destaque dos trabalhos desenvolvidos por elas" afirma Sônia MariaZanetti, pesquisadora da UFSCar e doutora.Para Sônia, a principal mudança está na postura do mercado de trabalho e da sociedade, que estão mais abertos à contribuição feminina e têm valorizado mais o trabalho desenvolvido pelas pesquisadoras.

"A mulher, em muitos aspectos, é mais cuidadosa e menos afoita que o homem. Por isso, consegue desenvolver se sobressair em áreas pouco exploradas da pesquisa acadêmica. E a valorização do trabalho feminino pela sociedade só faz aumentar o número de mulheres interessadas na carreira acadêmica" explica Sônia Na cidade, as doutoras destacam-se, principalmente, na área de Exatas, como Engenharia, Física e Química. Em seguida, aparecem na área de Saúde, Biologia, Sociologia e Filosofia.

CIENTISTAS - De acordo com levantamento feito pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), mulheres correspondem a 40% do número de pesquisadores financiados pela entidade. De um total de 19.678 solicitações iniciais (ou seja, pedido de bolsas), cerca de 7.900foram feitas por mulheres. O índice de aprovação das bolsas (número de solicitações dividido pelo número de aprovados) foi de 61%, percentual maior do que as aprovações de bolsas pedidas por homens (60%).