Notícia

Cerrado Mix

4º encontro do projeto Pensamentos Instigantes — Emmanuel Kant e a Música

Publicado em 15 agosto 2007

Data: 17/08/07

Horário: 19h30

Endereço: Auditório do CCBB Brasília

Pontos de Venda: No local

Preço: Entrada gratuita, mediante retirada de senha na bilheteria a partir das 19h.

Censura: 12 anos

Organização:

Release:

Kant e a Música

O pensamento crítico encontra a inspiração artística

No dia 17 de agosto, às 19h30min, o Centro Cultural Banco do Brasil Brasília apresenta o quarto encontro do projeto Pensamentos Instigantes — Filosofia, Arte e Ciência, com a palestra Kant e a Música. O tema será apresentado pelo professor José Silveira da Costa, com comentários do maestro Abel Rocha. Claudio Bergamo, psicólogo, arteterapeuta e curador do programa, será o mediador.

Neste encontro, a alma e a inspiração musical do artista entram em cena e, em um outro contexto, desvendam a "clareza discursiva" e espírito da filosofia de Kant, mostrando as principais questões contidas no pensamento do autor: o projeto crítico na ciência, na moral e na arte. Para Kant, o mundo físico, o do conhecimento cientifico, é rigorosamente determinado segundo rígidas leis de causa e efeito.

A própria vida humana não escapa a essas leis. A única exceção é a esfera da moralidade humana onde Kant admite a possibilidade do livre arbítrio. Essa esfera, porém, não é do domínio da razão pura, mas da "razão prática", e como tal tem suas próprias regras. Apesar de se encontrar num universo rigorosamente determinado, a vontade humana é livre para querer o que é bom. Essa autonomia da vontade é o fundamento de uma moral baseada na razão prática.

O Professor e Doutor em filosofia, José Silveira da Costa vai enfocar o espírito do pensamento de Kant, cuja filosofia se insere no contexto do pensamento europeu iluminista da segunda metade do século XIX. "Kant é um pensador que acredita no poder da razão em determinar o mundo, no entanto, ele considera que essa razão não pode ser entregue a si mesma, mas necessita ser submetida a uma crítica", diz Silveira da Costa.

"A palavra 'crítica' é central na filosofia kantiana e se encontra no título das três grandes obras do filósofo: Crítica da Razão Pura, Crítica da Razão Prática e Crítica da Faculdade de Julgar, onde afirma: "Conceitos sem intuições são vazios e intuições sem conceitos são cegas", e que o saber humano tem de começar com a experiência, e a arte, como algo que não segue padrões rígidos, e sim rompe com eles. "A bela arte é uma arte do gênio, que é um talento dado pela natureza ao homem", afirma Kant.

Já, o maestro, Abel Rocha contextualiza como a alma, a inspiração e a intuição do artista podem prevalecer sobre a razão e como as representações sensíveis da arte musical, podem combinar com a clareza discursiva da filosofia de Emmanuel Kant.

Professor José Silveira da Costa

Foi professor da UERJ e UFRJ, Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Santo Tomás de Roma, Pós-Doutorado em Filosofia pela Universidade Autônoma de Madrid. Escreveu artigos em revistas especializadas, publicou: "O fundamento psicológico do Realismo Tomista" "Tomás de Aquino: a razão a serviço da fé", "Averróis: o aristotelismo radical", "Max Scheler: o personalismo ético".

É consultor da FAPESP para projetos de filosofia e Professor Visitante do Departamento de Filosofia da UERJ.

Maestro Abel Rocha

"Rocha é um detalhista. A Banda Sinfônica em suas mãos adquiriu um padrão ainda inédito, com sutilezas de fraseado e dinâmica só existentes nas grandes orquestras." -- João Batista Natali - Folha de São Paulo.

Atualmente conclui seu doutorado em Música na Unicamp. Fez mestrado em Regência de Ópera junto à Opernschule da Robert-Schumann Musikhochschule, Düsseldorf, Alemanha.

Em seus 20 anos de carreira, atuou como diretor musical em diversas óperas, balés e concertos sinfônicos frente às mais importantes orquestras do país. Desenvolve também extensa carreira como diretor musical e arranjador para espetáculos teatrais, shows e gravações.

Com intensa atividade didática, é professor de regência da Faculdade de Música da UniFIAM/FAAM, além de ministrar aulas e workshops regularmente em festivais e cursos de férias.

Desde 2004 é Diretor Artístico e Regente Titular da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, e dirige o Collegium Musicum de São Paulo desde 1983.

Capacidade: 150 lugares. Duração: 120 min.

PROGRAMAÇÃO 2007

19/10 Voltaire e a dramaturgia

Palestrante: Deise Quintiliano

Convidado: Alcione Araújo

13/12 Pitágoras e o Instrumentista

Palestrante: Márcia Tiburi

Convidado: Yamandú Costa