Notícia

SEGS Portal Nacional de Seguros & Saúde

2º Simpósio de Câncer de Mama e Ginecológico - 12 a 14 de agosto de 2010

Publicado em 27 julho 2010

Por Moura Leite Netto

Oncologistas discutem em SP a eficácia de drogas para tratamento de tumores de mama e ginecológicos

O papel do bevacizumab no tratamento de câncer de ovário e de mama metástico e até que ponto é eficaz tratar o câncer de endométrio com quimioterapia estão entre as discussões de simpósio internacional promovido pelo Hospital A.C.Camargo com presença de alguns dos principais especialistas do mundo em câncer de mama, ovário, colo do útero e endométrio. Evento acontece entre 12 e 14 de agosto no Mercure Grand Hotel, em São Paulo

O câncer de ovário tem o mais alto índice de mortalidade entre os tumores ginecológicos. Ele corresponde a 30% dos cânceres ginecológicos, mas por cerca de 58% das mortes. O motivo para isso é que 75% dos casos são descobertos em estadio avançado, o que reduz bastante a chance de sucesso do tratamento. Um dos maiores desafios dos oncologistas está em justamente mudar esta realidade.

Estudos em andamento mostram que o bevacizumab pode ser um dos responsáveis por esta esperada transformação. O tema será abordado pela oncologista do Hospital A.C.Camargo, Solange Sanches, durante o 2º Simpósio de Tratamento Multidisciplinar de Câncer de Mama e Ginecológico entre 12 e 14 de agosto em São Paulo. Solange Sanches discutirá se é eficaz a possível adoção na prática clínica do bevacizumab para tratamento de câncer de ovário. Ela demonstrará resultados envolvendo índices de resposta de pacientes, regressão tumoral e frequência de efeitos colaterais como perfuração intestinal, hipertensão arterial, perda de proteína pela urina e sangramentos.

O bevacizumab será tema também de apresentação do oncologista Javier Cortes, do Hospital Vall d´Hebron Barcelona, da Espanha, que discutirá o verdadeiro papel da droga no tratamento do câncer de mama metástico. "Em quimioterapia, destacamos também a discussão do papel deste tratamento para casos de câncer de endométrio", destaca o coordenador geral do evento e diretor de Oncologia Clínica do Hospital A.C.Camargo, Marcello Fanelli.

Durante os três dias de evento haverá apresentações sobre a função do PET em câncer de colo do útero, personalização de tratamentos, desafios envolvendo reversão de metástases, preservação de fertilidade e grupos com indicação para mastectomia, dentre outros temas. Entre os convidados estão pesquisadores internacionais da University Medical Center Hamburg, da Alemanha; Hospital Vall d´Hebron Barcelona, da Espanha; M.D.Anderson Cancer Center, dos Estados Unidos; Universidad de Buenos Aires, da Argentina e Instituto Europeu de Oncologia, da Itália. Entre as instituições brasileiras estão o INCA, Faculdade de Medicina da USP, USP Ribeirão Preto, Unifesp, Hospital do Câncer de Jaú e a Sociedade Brasileira de Mastologia. A programação completa pode ser conferida no site http://www.accamargo.org.br/simposio2010/

Qualidade de vida de pacientes mastectomizadas - Um dos paineis do simpósio será exclusivamente voltado à reconstrução mamária, técnica que visa a melhora de qualidade de vida de pacientes submetidas à mastectomia. O oncologista Mário Rietjens, do Instituto Europeu de Oncologia, na Itália, apontará como podem ser individualizadas as técnicas de reconstrução mamária. Já o mastologista Ivo Carelli Filho, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, discutirá a preservação de mamilo.

Outro especialista convidado para este painel é o cirurgião do Hospital A.C.Camargo, Alexandre Katalinic Dutra, que em sua tese de doutorado demonstrou que 95% das mulheres submetidas a técnica de reconstrução mamária apresentam alto grau de satisfação. De janeiro de 2002 a dezembro de 2005, Alexandre Katalinic Dutra acompanhou 178 mulheres submetidas a reconstrução imediata da mama com o retalho do músculo dorsal e implante mamário. Para 75% das mulheres consultadas, o resultado pós-cirúrgico foi considerado bom ou ótimo. Uma parcela de 20% das pacientes afirmou ter gostado do resultado, embora acreditasse que poderia ter ficado melhor. O pós-cirúrgico foi considerado insatisfatório para 5% das pacientes. De acordo com a pesquisa, o Hospital A.C.Camargo atinge, nesse tipo de cirurgia, índices de satisfação equivalentes aos de países desenvolvidos da Europa e da América do Norte.

Serviço

Evento: 2º Simpósio Internacional de Tratamento Multidisciplinar de Câncer de Mama e Ginecológico

Realização: Hospital A.C.Camargo

Data: 12 a 14 de agosto de 2010

Local: Mercure Grand Hotel São Paulo

Endereço: Rua Joinville, 515 - Ibirapuera - São Paulo

Informações: http://www.accamargo.org.br/simposio2010/

Confirmação de jornalistas: moura@comunique.srv.br 

Sobre o Hospital A.C.Camargo - O Hospital A.C.Camargo é um dos maiores centros de tratamento oncológico da América Latina. Realiza de forma integrada a prevenção, o diagnóstico e o tratamento ambulatorial e cirúrgico dos mais de 800 tipos de câncer identificados pela Medicina, divididos em mais de 40 especialidades, sempre baseado na assistência multidisciplinar. Realiza anualmente mais de 950 mil atendimentos anuais (internações, tratamento ambulatorial e diagnóstico por imagem) sendo responsável hoje, por uma das maiores casuísticas no tratamento do câncer do país.

Sua pós-graduação, criada em 1996, é a única em um hospital privado reconhecida pelo Ministério da Educação e foi avaliada com nota máxima durante toda essa década pela CAPES, tornando-se assim a melhor do país em Oncologia e uma das duas melhores em Medicina.

Uma instituição filantrópica que atua, desde sua criação por Antônio e Carmen Prudente em 1953, no atendimento especializado a pacientes com câncer. Seu corpo clínico é fechado e composto por uma equipe de 403 médicos especialistas, a maior parte com mestrado e doutorado. A interação desses profissionais em atividades multidisciplinares resulta em índices de sucesso de contra o câncer semelhantes aos observados nos melhores centros de oncologia internacionais.

Na área de ensino e pesquisa, o A.C.Camargo criou a 1ª residência oncológica, em 1953, e é responsável pela formação de 1/3 dos oncologistas em atividade no Brasil. Tem a maior produção científica da área, com mais de mil trabalhos publicados na última década nas principais revistas internacionais de alto impacto. Centralizou em 2000 o Genoma do Câncer no Brasil, financiado pela Fapesp e Instituto Ludwig, instituição de pesquisas em câncer que o A.C.Camargo abrigou por mais de 20 anos.

Em 2009, o Hospital foi apontado pela edição 500 Melhores Empresas da revista Istoé Dinheiro como uma das melhores em Saúde pelo terceiro ano consecutivo. No mesmo ano foi eleito pelo Guia Você S/A Exame como uma das Melhores Empresas para Você Trabalhar e pela segunda vez consecutiva está entre as 10 melhores empresas de serviços médicos do Brasil na Gestão de Pessoas, de acordo com o anuário Valor Carreira.