Notícia

G1

2ª Batatec deve receber mais de 20 mil pessoas no Centro de Eventos IBC em Presidente Prudente

Publicado em 13 junho 2019

Por G1 Presidente Prudente

Tem início às 18h desta sexta-feira (14) a 2ª Feira Tecnológica de Batata-doce (Batatec), no Centro de Eventos do Instituto Brasileiro do Café (IBC), em Presidente Prudente. O evento, que vai até domingo (16), deve receber mais de 20 mil pessoas. A entrada é gratuita, mas a organização também recolherá doações espontâneas de alimentos e agasalhos, em uma ação solidária.

A batata-doce é a quarta hortaliça mais consumida no Brasil e a região de Presidente Prudente é a maior produtora do Estado de São Paulo.

De acordo com dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), no ano de 2018, o Estado de São Paulo produziu 9.876,62 hectares, sendo que a região da Alta Sorocabana produziu 36,5% do total do Estado, perfazendo cerca de 3.605 hectares o que resultou em uma produção de aproximadamente 61.427,64 toneladas.

Estima-se que haja na região cerca de 250 produtores do tubérculo.

O evento conta com palestras e espaços técnicos para que empresas possam mostrar suas tecnologias, atuações no mercado e perspectivas futuras e tem como público-alvo empresários do setor, empreendedores, técnicos, consultores, produtores rurais, profissionais ligados ao agronegócio, estudantes de graduação e a população em geral.

Além da parte técnica, a feira conta com uma estrutura gastronômica com pratos confeccionados a partir de variedades diversas da batata-doce.

“O envolvimento dos produtores tem nos impressionado bastante. Todos estão engajados e querendo que o evento cresça cada vez mais. Este era um dos nossos maiores objetivos quando lançamentos o projeto da feira, e podemos dizer que a meta foi atingida”, afirmou o presidente da Associação dos Produtores de Batata-Doce de Presidente Prudente e Região (Aprobarpp), Luiz Rocha.

Programação

A agenda de shows da Batatec está repleta de atrações para agradar a todos os gostos. Na noite de sexta-feira (14) sobe ao palco a Banda Pai Galo com Sofia Moreno, logo após a cerimônia de abertura, a partir das 19h.

Na sexta-feira ainda haverá a divulgação do resultado do Concurso #Receitando, promovido pela TV Fronteira, que escolheu três receitas finalistas à base de batata-doce. A programação terminará às 22h.

Já no sábado (15), a programação começa às 12h, com Stella. Em seguida, apresentam-se Zé Sérgio e Roberto, Ana Paula Leal e, encerrando a noite, Elly Guimarães. O encerramento será às 22h.

No domingo (16), a partir das 12h, haverá shows de Luís Thiago, Orquestra de Viola, Pedro Henrique e Eduardo e Banda Seu Doutor. A finalização do evento também está prevista para as 22h.

Praça de alimentação

Entre os diversos atrativos da 2ª Batatec, a praça de alimentação é o mais cobiçado pelo público. Neste ano, serão 21 estabelecimentos dedicados a oferecer uma variedade de pratos, lanches, doces e bebidas feitos à base de batata-doce.

De acordo com o organizador da feira, Marcelo Costilho, a novidade deste ano é a inclusão da culinária japonesa, com o tempurá de batata-doce.

Além dele, outros pratos que poderão ser degustados no evento são nhoque de batata-doce recheado com queijo, rocambole de carne moída com massa de batata-doce, frango com requeijão e carne seca, coxinha de frango e carne, pudim de batata- doce, pão de queijo de batata-doce, escondidinho de carne moída e carne seca, pão recheado com requeijão, pão recheado com frango e requeijão, brigadeiro e beijinho de batata-doce, bolo, docinhos, hambúrgueres com pão de batata- doce e hambúrgueres com chips de batata-doce, churros de batata-doce e assados.

A organização lembra que a praça de alimentação estará dividida em duas partes, sendo uma na área interna e a outra na área externa do IBC. Nesta última, serão estacionados os food trucks com vários lanches e petiscos, além das entidades assistenciais que venderão bebidas não-alcoólicas.

Sucesso de crítica na primeira edição da Batatec, a cerveja de batata-doce tem presença garantida neste ano. Três cervejarias prudentinas vão oferecer a bebida, além de outros tipos de cervejas artesanais.

Caixas serão distribuídos em pontos diferentes, dentro e fora do salão, para que o público possa trocar o dinheiro pelas fichas oficiais do evento. Segundo Costilho, será possível usar cartão de crédito e débito.

Pesquisa

Batatas-doce coloridas, mais produtivas e com características que agradam produtores rurais e consumidores. Este é o objetivo de uma pesquisa científica desenvolvida pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que será apresentada durante um simpósio na 2ª Batatec, em Presidente Prudente.

Os resultados iniciais do trabalho serão divulgados no 2º Simpósio da Batata-doce pela pesquisadora da Apta, Amarílis Beraldo Rós.

Para a realização do trabalho, a pesquisadora plantou campos de batata-doce com as cultivares Uruguaiana e Londrina, materiais mais utilizados pelos produtores da região, e deixou a natureza agir.

Foram geradas mais de 2 mil sementes a partir de polinização natural e essas, depois de semeadas, originaram ramas que foram plantadas e permitiram a avaliação uma a uma de mais de 1,5 mil variedades diferentes de batata-doce.

“Identificamos entre todos esses materiais os 80 que achamos mais promissores, com características relacionadas à alta produtividade, coloração de polpa e aspecto da casca. Identificamos cultivares de polpa branca e amarela, que são as preferidas dos produtores, mas também bicolores e laranjas, com altos índices de betacaroteno. Acreditamos que alguns desses materiais possam ser interessantes para nichos de mercado”, explicou Amarilis.

A expectativa é que, em três anos, a Apta apresente ao setor produtivo novos materiais a partir deste trabalho.

“Precisamos ainda fazer diversos testes no campo, além da avaliação das características relacionadas ao sabor e textura, porém, já identificamos plantas que produzem 64 toneladas por hectare, enquanto as cultivares mais plantadas pelos produtores alcançam até 30 toneladas por hectare”, afirmou a pesquisadora.

A pesquisa, que começou em 2016, conta com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

De acordo com Ricardo Firetti, pesquisador e diretor do Polo Regional da Apta em Presidente Prudente, o evento e as pesquisas desenvolvidas buscam apoiar os produtores e resgatar a importância da batata-doce na região.

Em 2011, segundo o pesquisador, a produção de batata-doce estava em declínio na região, por conta de problemas com viroses. Muitos produtores enfrentavam redução da produtividade e da qualidade das lavouras, ou seja, a produção regional despencou.

A Apta realizou um trabalho de limpeza das ramas de batata-doce e começou a disponibilizar para os produtores materiais com alta qualidade fitossanitária.

“Com isso, o jogo virou. A partir de análises que temos feito com informações do Instituto de Economia Agrícola (IEA), é possível notar que apenas com a recuperação da produtividade, a região aumentou em R$ 30 milhões a arrecadação com a cultura nos últimos cinco anos. A Batatec ajuda a consolidar a importância econômica dessa hortaliça para esta região do Estado”, afirmou Firetti.

A 2ª Batatec é realizada pela Prefeitura de Presidente Prudente e tem o apoio da Associação dos Produtores de Batata Doce de Presidente Prudente e Região (Aprobarpp), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Apta, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e do Centro Paula Souza.