Notícia

Vivendo Bauru

27 de setembro: Dia do Turismo

Publicado em 26 setembro 2007

Por Renato Cardoso (*)

Neste dia 27, queremos cumprimentar quem faz o turismo acontecer.


Vivendo Turismo há mais de oito anos, com foco no receptivo, aprendi que a implantação de um projeto turístico se dá de forma lenta, gradual e tão morosa quanto eficaz.

O Turismo no Estado de São Paulo, abrangendo todas as regiões, persegue essa trajetória com avanços significativos. Não se pode exigir, entretanto, dos atores desse processo, agilidade sobrepujando resultado. É assim mesmo, avança-se sempre, porém seguindo quase que um roteiro pré-estabelecido.

Mais avançado nesta ou naquela cidade, em fase de alinhamento de informação em outras, não importa, o Turismo começa a acontecer. "Não é assim, vamos fazer e pronto... está feito", disse-me um consultor do SEBRAE. "Também não se pode fazer o trabalho pelas comunidades envolvidas, e sim fazer com que elas o façam", continuou o consultor.

Ansiosos de plantão que se cuidem, pois não se pode "apressar o rio". É o que concluímos, após vários anos, acompanhando turismólogos, prefeitos, investidores e profissionais da área, em encontros, reuniões, seminários etc., visando o Turismo.

Mas, o que importa mesmo, é o que se verifica em todo o Estado: comunidades inteiras se envolvendo para embarcar no trem desse "boon" que acontece, de forma tardia, mas não sem tempo.

O Estado de São Paulo já conta com seu Conselho Estadual de Turismo que, normalmente, tem à frente o secretário da pasta, e, como membros, o trade turístico, as cidades, representantes de macrorregiões e outros empossados. Mensalmente o Conselho se reúne e, nessas reuniões, discutem e aprovam medidas em prol do setor.

Cidades com o turismo mais avançado quanto à sua implantação técnica estampam claramente os benefícios sociais e econômicos advindos da atividade. Algumas podem se apresentar como tendo, no Turismo, sua principal fonte de desenvolvimento.

Isso aqui mesmo, em nosso Estado.

Mas, como Turismo é sinônimo de sinergia, participação comunitária, complemento de oferta turística, sempre haverá esse ou aquele cidadão, essa ou aquela comunidade, vivendo, na ocasião, sua fase no processo de implantação um pouco distante do momento da colheita de grandes resultados.

Porém, quando os resultados começarem a aparecer, a alegria será geral e a satisfação pelo que está sendo colhido ficará evidente.

Muitos reclamam da extinção da Secretaria de Turismo e de sua posição como apêndice da Secretaria de Esporte e Lazer. Eu tenho aqui comigo uma conclusão no mínimo alentosa: quem sabe uma agência de desenvolvimento, nos moldes da RioTur, Bahiatursa e outras, possa estar na pauta de vanguarda de nosso governo?

É o modelo mais atual, pois dá agilidade aos atores envolvidos, livrando-os do gesso próprio de organismos públicos.

Pelo menos uma agência de desenvolvimento já foi criada em nosso Estado, nos moldes modernos, e já com objetivo estampado no site da FAPESP.

Sendo o governador Serra um administrador de vanguarda, não devem os críticos afoitos avaliar apenas as primeiras medidas. Seria ótimo esperar prá ver e, a partir daí, pegar o bonde da entidade a responder pelo Turismo no Estado de São Paulo.

O bom mesmo, nessa linha de raciocínio, é que, ao mesmo tempo que se dá de forma "passo a passo" a implantação de um projeto turístico, o que se conquistou não retroage, não volta ao "statuo quo". É só avanço.

E, o que é bom, é que se observa um avanço em escala agregada, mais ou menos como uma bola de neve que amplia seu tamanho na medida em que se aproxima do seu objetivo.

O que tem ficado claro, em todos os momentos em que se discute o Turismo no Estado de São Paulo, é que temos um potencial com força suficiente para disputar ponta com qualquer outro Estado da Federação. Senão, vejamos:

1- Temos uma variedade muito grande de opções para oferecer aos turistas;

2- Somos, através da cidade de São Paulo, o segundo maior destino de turistas internacionais. É bem verdade que precisamos trabalhar sua permanência tanto na capital quanto no interior (rumo às praias com muitas opções, ou rumo à região central, com uma variedade muito grande de vocações que se completam por si sós).

3- Somos berços de profissionais de primeira linha, que optam, é claro, por sua permanência em São Paulo.

4- Temos, no Turismo Empresarial, um grupo expressivo de turistas que naturalmente aporta em nosso Estado, e aqui procura lazer, cultura, etc., para os momentos em que não estão vivendo suas atividades profissionais;

5- Também é o Estado de São Paulo, o maior parque de entidades científicas, universitárias e afins que, normalmente, acolhe profissionais e pesquisadores de todo o mundo;

6- Transporte pelos mais variados meios está presente em nosso Estado e com padrão de primeiro mundo. E isso conta e muito no momento de se decidir quanto ao que é oferecido nos destinos turísticos.

Quando o leque de ofertas estiver tão pronto quanto um cardápio bem elaborado de um fino restaurante francês, aí sim, os resultados serão colhidos de forma definitiva e muito satisfatória.

Vale registrar que os envolvidos no processo de implantação do Turismo em nosso Estado são muitos, de diferentes formações profissionais e com muito a agregar no conjunto de forças. Isto nos leva a concluir que, da mesma forma como paulistas e paulistanos gerem outras atividades de forma técnica e altamente profissional, assim se fará também, como já mostram os primeiros resultados, no segmento turístico.

Tendo nosso Estado um cardápio perfeito para todos os gostos e contando com um um sistema logístico moderno, ágil, seguro e com foco na satisfação dos clientes, o resultado final de todo o conjunto de forças registrado no momento, no segmento turístico, num único sentido, sem dúvida será o melhor.

O Estado de São Paulo mais uma vez sai para receber. Agora, ofertando um variado conjunto de opções bem próprio de um Estado tão abençoado por Deus e aberto a satisfazer brasileiros de todos os cantos do País, que escolhem São Paulo como local para poder viver com a melhor qualidade de vida.

O Estado de São Paulo mostra sua cara também no Turismo, campo em que, aliás, tem muito a oferecer e com certeza o fará com a pompa e o orgulho de um vencedor.

Brindemos!


(*) Renato Cardoso é publicitário, Delegado Regional de Turismo e responde pelos sites da SC Comunicação