Notícia

Jornal da Ciência online

2019 foi o ano mais quente já registrado no Brasil

Publicado em 11 março 2020

Por Carlos Fioravanti

Temperaturas máxima e mínima anuais sobem de modo contínuo desde 1961

O ano de 2019 foi o mais quente já registrado no País, com uma média de temperatura máxima (diurna) de 31,05 graus Celsius (ºC), de acordo com dados divulgados em fevereiro pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que acompanha a variação diária da temperatura no país desde o final do século XIX. O ano de 2015 foi o segundo mais quente, com 31,02ºC. A média da temperatura mínima também foi a mais alta em 2019, 20,04 ºC, depois de 2015, com 19,93ºC.

O Brasil segue a tendência mundial, principalmente no inverno, com pequenas diferenças. Em janeiro de 2020, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou que 2016 foi o ano mais quente na média global e 2019 foi o segundo mais quente desde 1850, quando as medições começaram a ser feitas.

“A circulação atmosférica no Brasil em parte compensou a variação do clima verificada em outros países”, comenta o meteorologista Marcelo Schneider, do Inmet de São Paulo. Segundo ele, a variabilidade natural do clima, o aquecimento global e a ação humana, com a maior emissão de gases do efeito estufa, principalmente o dióxido de carbono (CO2) e o metano (CH4), a expansão urbana e agrícola e o desmatamento, são as principais razões da contínua elevação de temperatura no país e no mundo. “Somente o El Niño [aquecimento das águas do Pacífico equatorial] não explica sozinho o aumento da temperatura em 2019, porque no Brasil seu efeito foi fraco e limitado aos meses de maio a julho.”

Leia na íntegra: Pesquisa Fapesp

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Sou Ecológico Revista Ecológico online