Notícia

JusBrasil

03 atitudes para compatibilizar o seu trabalho com o mestrado/doutorado

Publicado em 30 janeiro 2019

Compatibilizar o seu trabalho com o mestrado/doutorado pode ser um grande desafio e você precisa superá-lo!

Nós sabemos que escolher o ensino superior é algo que deve ser bem pensado, pois não nada é fácil. O ritmo de estudo é pesado, é difícil ser avaliado, é complicado elaborar um TCC, uma monografia, buscar atividades complementares de qualidade e que façam o tempo valer a pena.

Quanto mais alto o degrau da escada, mais esforço necessitamos para chegar e para ficar lá. Quando saímos da graduação e chegamos na pós-graduação tudo fica ainda mais intenso. A quantidade de esforço necessário para dar conta de tudo é enorme.

Alguns fatores ainda caminham junto da escolha pelos estudos. Um dos mais complexos, e que pode atrapalhar muito se não for bem administrado, é o trabalho. Já é muito difícil aos “sortudos” que conseguem trabalhar somente oito horas por dia conciliar seu labor com qualquer coisa, ainda mais com um ritmo de estudo intenso como o do mestrado e do doutorado. Alguns têm o privilégio de conseguir somente estudar, o que não é o caso de milhares de brasileiros que se aventuram na pós-graduação. Foi o nosso caso!

O objetivo do nosso blog não é mentir para vocês e dizer que é fácil conciliar a pós-graduação com um emprego. Não é fácil, mas não é impossível. Com disciplina e algumas ações e estratégias você consegue.

Sendo assim, vamos falar sobre 03 atitudes para compatibilizar o mestrado/doutorado com o seu trabalho e mostrar que é possível dar conta de ambos.

TRABALHO E BOLSAS

“VOCÊ TRABALHA OU SÓ ESTUDA?”

É importante deixar claro que o trabalho mental exigido na pós-graduação é tão árduo quanto qualquer outro trabalho.

Só quem está envolvido com a pós-graduação sabe como é difícil ter dedicação para passar em um processo seletivo, ler textos complexos, fazer análises críticas, elaborar dissertações e teses, etc.

Por experiência própria, você é um herói ao trabalhar e ainda optar por este caminho da pós-graduação.

E AS BOLSAS?

Mesmo não sendo um herdeiro da família real, é possível só estudar? Sim, é possível. Existe um instrumento específico para que o pesquisador possa se dedicar exclusivamente à pós-graduação: as bolsas.

Um conceito de bolsa é: “uma prestação pecuniária atribuída a um estudante por uma entidade pública ou privada para coparticipação nos encargos relativos à frequência de um curso ou ao desenvolvimento de um trabalho de pesquisa”.

Existem vários tipos de bolsas, oferecidas por entidades espalhadas pelo país e pelo mundo, com várias finalidades e com requisitos. Ocorre que as bolsas têm alguns complicadores que devem ser levados em conta, especialmente o pouco número disponível e os requisitos para ser elegível à bolsa.

No caso das bolsas de estudo oferecidas pelo CNPq, “para acumular bolsa com atividade remunerada é necessário que o estudante já bolsista consiga algum emprego na área de seu estudo” e isso não é nada fácil. São exemplos de bolsas de pós-graduação oferecidas pelo CNPq:

1) Mestrado – GM

2) Doutorado Pleno – GD

3) Doutorado Sanduíche no país – SWP

Ainda existem as versões para o exterior e para empresas. Não vamos esquecer das outras agências de fomento e conselhos como CAPES e as fundações de amparo a pesquisa (FAPERJ, FAPESP e etc).

Ainda lembrando que algumas bolsas pedem a chamada dedicação exclusiva, onde o pesquisador é impedido de exercer outra atividade remunerada, seja pública ou privada, enquanto estiver recebendo aquela bolsa, com algumas poucas exceções. Fora que é muito difícil viver em grandes centros como São Paulo e Rio de Janeiro com o valor disponibilizado pelas bolsas.

Em resumo: são muitas possibilidades e cada uma delas com seus diferenciais que podem, caso sejam descumpridos os requisitos, gerar processos de acúmulo de bolsa e etc.

Aqui no Blog nós somos adeptos do “Do it yourself”. Por mais desafiador que seja, vamos te ajudar com as 03 atitudes para compatibilizar o mestrado/doutorado com o seu trabalho! Nos acompanhe por aqui e vamos realmente ao que interessa.

03 ATITUDES PARA COMPATIBILIZAR O MESTRADO/DOUTORADO COM O TRABALHO

Abaixo estão atitudes possíveis e reais para você implementar no seu dia-a-dia. Tenha em mente de que essas atitudes não são promessas, mas boas práticas desenvolvidas por diversos professores e pesquisadores e que nós identificamos em nossa trajetória acadêmica.

# 1ª atitude: Uma coisa de cada vez

Sabe aquele filme Kung Fu Panda? Tem uma frase nele que ajuda a pensar a questão da atitude. A frase é do Mestre Oogway (a tartaruga): “o passado é história, o futuro é mistério, mas hoje é uma dádiva. Por isso se chama presente”.

Durante o momento em que estiver estudando, não adianta pensar no trabalho e vice-e-versa. Você deve disciplinar seu tempo para, no momento de trabalho ou estudo, focar sua mente somente nisso. Em um primeiro momento, alguns podem pensar que essa é uma dica genérica, mas não é.

Para alguns estudiosos de uma universidade britânica, a formação de hábitos se dá em um prazo aproximado de 60 dias dentro de determinadas condições que se repitam durante o prazo da formação do mesmo. Por exemplo, definir uma hora por dia, após o horário de trabalho, para leituras acadêmicas, em um determinado cômodo da casa, utilizando um programa de TTS (veremos o que é isso na próxima atitude), etc.

Quando o hábito realmente for formado, tudo ficará mais fácil, intuitivo e menos complicado. A sua mente irá separar naturalmente estudo de trabalho e de outras atividades que podem te distrair. Somente o momento presente importa. Nada mais existe.

Então, quais são os passos estruturantes desta primeira atitude?

1) Separe horários para estudo, trabalho e lazer, mas torne todos os três elementos importantes para o seu dia;

2) Crie um ambiente confortável para estudar. Não precisa ser nada luxuoso, só é necessário que você se sinta bem por lá;

3) Crie meios que otimizem seu tempo de estudo (como você verá na próxima atitude);

4) Pratique todas essas mesmas condições por no mínimo (02). A partir daí, tudo ficará mais fácil.

# 2ª atitude: Otimize sua leitura

Quem nunca teve um orientador que aconselhou a ler o que interessa em um texto. Há orientadores quem fazem a leitura dinâmica das linhas e se atentam ao que lhes é interessante. Porém, consideramos que isso abre margem para que informações importantes se percam. Então, encontramos um método mais efetivo.

Este método funciona principalmente com quem é ansioso. Sabemos que é complicado conseguir fazer a leitura de um livro ou um texto impresso por uma grande quantidade de horas, de um lado, e controlar a ansiedade em terminar, de outro. A ansiedade pode te travar e você acabar perdendo muito tempo com leituras nada proveitosas, o que atrapalha o seu rendimento.

Não há outra opção e, para dar conta de milhares de páginas e centenas de milhares de informações, você precisa considerar as estratégias abaixo:

1) Acostume-se com o PDF e ebooks: o PDF, o formato de arquivo desenvolvido pela Adobe Systems, é dos mais difundidos hoje para textos virtuais por todo o mundo. O mesmo se aplica aos ebooks, que são comercializados em plataformas próprias, como o Kindle. Todos nós sabemos que os livros físicos têm seu charme, mas durante o mestrado e o doutorado, você deve optar por aquilo que te ajudará em termos de rendimento e aproveitamento de tempo e espaço, que são arquivos em formato PDF ou ebooks;

2) Encontre um programa de TTS que te agrade: existe uma tecnologia atual chamada Text-To-Speech (TTS) que sintetiza a voz humana para leitura de textos. Você coloca o PDF em um desses programas e ele reproduzirá o texto em voz alta. Ele vai ler linha por linha do texto e você poderá acompanhá-lo, o que vai minimizar a perda de informações importantes. Existem várias opções de programas de TTS, tais como: TTS Reader (https://ttsreader.com/), o “Ler em voz alta” no Microsoft Edge (é uma opção do próprio navegador) e o eReader Prestigio (este é um app de celular). Existem muitos outros. Use-os, teste a voz, veja se o ritmo lhe agrada;

3) Escolha um bom fone de ouvido e tenha o texto disponível: Um bom fone de ouvido vai impedir que você se distraia com barulhos alheios a sua leitura e tornar mais cômoda a audição. Uma dica: escolha um fone que tape o seu ouvido, pois, quanto mais ele fizer isso, mais a sua concentração funcionará. Ainda, se sua vista ficar cansada com a leitura no computador, acompanhe pelo texto físico enquanto escuta o áudio da leitura;

4) Dê uma chance e pratique: Quando falo sobre este método, a maioria das pessoas diz que não consegue se acostumar com o ritmo mecânico de leitura. Realmente é verdade. As tecnologias de TTS ainda estão evoluindo, mas é tudo uma questão de ritmo, ambientação e prática. Dê uma chance.

Parece ser uma atitude boba otimizar a leitura, não parece? Não é. Ela ajuda demais diversas pessoas. Para nós, que somos advogados e temos que ler jurisprudências quase todos os dias dezenas delas, conseguimos “eliminar” todas muito rapidamente. Vale a pena tentar.

# 3ª atitude: Perdoe-se

O título pode dar a ideia errada, mas é a dica mais importante. Todos nós temos limites. Sabemos como a ansiedade atrapalha e como grandes problemas pessoais podem até mesmo por em risco os estudos ou o trabalho.

Por mais que eu reclame e se frustre, já dizia Cartola “o mundo é um moinho, que vai triturar teus sonhos, tão mesquinho, vai reduzir as ilusões à pó”. Quanto mais reclamamos, mais somos esmagados pelo peso da realidade. Em vez de se frustrar por não conseguir algo, perdoe-se, reassuma a postura e continue até quando conseguir.

É importante dizer que reclamar não é ignorar os seus problemas, mas sim respeitar seus limites e não se punir por isso. Se você está estafado após um dia de trabalho, respeite isso. Se você está com problemas pessoais e não quer estudar num dia, respeite isso também.

Mas este ato não pode ser uma constante. Deve ser algo definido no tempo e no espaço e acabar ali. Com a formação de hábitos, como já mostramos, tudo vai ficar mais fácil. Não dê tanto valor a estados mentais que em nada ajudam, como frustração e angústia. Se foque no que você realmente pode fazer no hoje.

COMO NÓS PODEMOS AJUDAR AINDA MAIS?

Esperamos que tenham aproveitado as 03 atitudes para compatibilizar o mestrado/doutorado com o seu trabalho. De certa maneira, o que falamos pode ser transferido para qualquer atitude da vida profissional e pessoal.

Mas nossas possibilidades de auxílio não param por aqui. Constantemente o Conselho Internacional de Altos Estudos em Direito (CAED-Jus) disponibiliza dicas e inovações para otimizar seu hoje, torná-lo realmente produtivo, possibilitando que o passado e o futuro, nossos constantes objetos de angústia, fiquem no lugar onde devem ficar para que possamos focar no que interessa.

O CAED-Jus, com seus eventos, atividades e conteúdos variados, pode lhe auxiliar na otimização dos seus estudos de mestrado e doutorado para poder compatibilizá-los com seu trabalho.

Os eventos do CAED-Jus podem contribuir pelo menos com o seguinte:

Membership em associação internacional

Apresentação de trabalho em evento

Participação em evento

Publicação de trabalho como capítulo de livro impresso

Você pode acessar o site do CAED-Jus em www.caedjus.com e se inscrever no próximo evento programado com um artigo de sua autoria ou participar de um de nossos cursos online gratuitos. Aproveite esta oportunidade!

 

Felipe Asensi
Felipe Asensi é Pós-Doutor em Direito, Advogado, Sociólogo e tem experiência profissional no Brasil, Estados Unidos, Colômbia, Espanha e Portugal. Atualmente é professor da UERJ, UCP, USU e da Ambra College (Estados Unidos) e orientador de mestrado e doutorado. É membro vitalício da Academia Luso-Brasileira de Ciências Jurídicas e Membro da Comissão Tutorial do Erasmus Mundus (União Européia). Consultor para o Brasil do World Justice Report. Asensi também é Diretor do Instituto Diálogo, Gestor do Master of Science in Legal Studies da Ambra College e Presidente da Comissão de Gestão Jurídica da OAB-RJ. Em meio a palestras e cursos no Brasil e no exterior, Asensi é fundador de um dos mais exitosos eventos jurídicos do mundo, o Congresso Internacional de Altos Estudos em Direito (CAED-Jus).

Felipe Asensi

Felipe Asensi é Pós-Doutor em Direito, Advogado, Sociólogo e tem experiência profissional no Brasil, Estados Unidos, Colômbia, Espanha e Portugal. Atualmente é professor da UERJ, UCP, USU e da Ambra College (Estados Unidos) e orientador de mestrado e doutorado. É membro vitalício da Academia Luso-Brasileira de Ciências Jurídicas e Membro da Comissão Tutorial do Erasmus Mundus (União Européia). Consultor para o Brasil do World Justice Report. Asensi também é Diretor do Instituto Diálogo, Gestor do Master of Science in Legal Studies da Ambra College e Presidente da Comissão de Gestão Jurídica da OAB-RJ. Em meio a palestras e cursos no Brasil e no exterior, Asensi é fundador de um dos mais exitosos eventos jurídicos do mundo, o Congresso Internacional de Altos Estudos em Direito (CAED-Jus).